in ,

O que podemos esperar da versão PcD do Volkswagen Nivus?

Com a apresentação do novo modelo da marca alemã, o assunto de uma versão Sense, que segundo informações chega em agosto, ganha cada vez mais força.

Publicidade
Publicidade

Apresentado na manhã da última quinta (28/5), o Nivus, novo SUV compacto global da Volkswagen traz algumas novidades para o mercado brasileiro no segmento mais aquecido do mercado automotivo atual. É o primeiro modelo VW fabricado no país com tecnologias como piloto automático adaptativo e sistema de frenagem de emergência autônoma, além de estrear uma central multimídia ainda mais conectada e o novo logotipo da fabricante, somado ao novo volante.

Até o momento conhecemos apenas a versão topo, a Highline, mas acreditamos que vamos conhecer as demais versões da novidade quando entrar na chamada pré-venda, prevista para as próximas semanas. Contudo, de acordo com informações preliminares divulgadas por alguns sites, o padrão de versões deve seguir o SUV T-Cross (200 TSI, Comfortline 200 TSI e Highline 200 TSI).

Publicidade
Publicidade

Veja Também

⇒ VW Nivus é apresentado oficialmente; veja fotos e mais detalhes

⇒ VW Play: testes e curiosidades sobre o infotainment High Tech da VW

⇒ Como poderá ser o facelift do Volkswagen Virtus? Confira projeção

Diante disso, começa-se a discutir sobre a versão Sense – denominação dada pela VW para a versão exclusiva para PcD dos seus modelos. Sabemos que ela existirá e está prevista para agosto, mas a marca em si ainda não soltou nada de oficial, bem como com as outras versões, se limitando apenas em relação ao posicionamento do Nivus no mercado.

Trataremos então da versão Sense que em breve deverá estar disponível para pedidos, muito provavelmente quando já entregues os T-Cross pendentes para o público PcD na referida versão. Lembrando que essa publicação tem cunho hipotético, ou seja, estamos trabalhando com estimativas e com base no que temos atualmente.

Publicidade
Publicidade

1.Itens de série

Uma discussão bem pertinente quando falamos de versões PcD é quanto aos itens de série, já que reduções nessa lista são bem corriqueiras para esses modelos, uma vez que são comercializados com isenções e o teto para isenção do ICMS muitas vezes inviabiliza uma opção mais completa.

O T-Cross Sense conta com uma lista bem razoável se tratando de versão PcD (pelo menos nesse primeiro momento), possuindo os triviais ar-condicionado analógico, direção elétrica e trio elétrico, adicionando ainda controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, seis airbags, rodas de liga leve de 16 polegadas, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay, alarme, faróis de neblina com DRL integrado, entre outros itens. Em comparação com o T-Cross 200 TSI Automático, abre mão de piloto automático, tampão no porta-malas, apoio de braço para o motorista, saídas de ar e entradas USB para os ocupantes traseiros e o suporte para celular no painel (desnecessário no Nivus, já que o espelhamento será sem fio). Logo, os cortes são relativamente pequenos para a versão PcD.

Publicidade
Publicidade

No Nivus, de acordo com o que foi divulgado extraoficialmente, a versão de entrada deverá dispor de alguns itens em comum com o T-Cross 200 TSI, como os 6 airbags, os controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, central multimídia, rodas de liga leve, piloto automático, DRL e lanternas traseiras em LED, entre outros. Fica devendo faróis de neblina que são opcionais, além de maçanetas e retrovisores na cor do carro (serão pretos), entre alguns outros itens. Para o Sense, estimamos que os cortes serão menores que no T-Cross, já que a lista de itens é mais enxuta também, podendo ficar de fora tampão de porta-malas, sensor de ré e piloto automático, além de rodas de liga leve e rack de teto, mas vamos aguardar fontes oficiais e tratar do assunto com relativa prudência.

2. Motorização

Já foi confirmado pela Volkswagen que todas as versões do Nivus possuirão o mesmo powertrain, sendo então o motor 1.0 TSI (200 TSI) com até 128 cavalos de potência no etanol e 20,4 kgfm de torque aliado ao câmbio automático Tiptronic de seis marchas. Tanto Polo Sense quanto T-Cross Sense utilizam desse conjunto e esperamos que também possa estar presente nessa versão de acabamento do Nivus. Não seria muito viável produzir apenas uma versão com determinado motor diferenciado.

Publicidade
Publicidade

Contudo, dentro do portfólio da marca existem também os motores 1.6 MSI de até 117 cavalos de potência e 16,5 kgfm de torque no etanol que é utilizado na versão Sense do sedan compacto Virtus e aliado ao mesmo câmbio Tiptronic. Ressaltamos que o VW T-Cross é exportado com esse conjunto mecânico e na época de seu lançamento também foi especulado na versão PcD, o que felizmente não ocorreu.

Já na gama TSI, abaixo do motor 200 TSI existe o 170 TSI, ainda 1.0 e utilizado somente no Volkswagen Up, além de ser conjugado apenas com transmissão manual. Esse motor rende até 105 cavalos de potência e 16,8 kgfm de torque, sendo esse último número semelhante ao de modelos 1.6 aspirados como Nissan Kicks e Hyundai Creta. Diante disso, pode a fabricante alemã optar pela adoção dessa variante do 1.0 TSI.

Publicidade
Publicidade

3. Possíveis preços e sobrevivência do T-Cross

Nesse aspecto, temos os modelos Polo e T-Cross na versão Sense como referencial. O hatch compacto tem preço público de R$ 69.990, assim como o SUV quando disponível para pedidos (ainda está suspenso) e o preço final para o consumidor final também era basicamente o mesmo: R$ 57.630, aproximadamente. O Polo chegou a custar aproximados R$ 54.700 por um tempo, mas atualmente não se cobra mais esse valor – o preço público vigente nessa época era R$ 66.990.

Para o Nivus, podemos trabalhar com dois cenários distintos. O primeiro é menos provável, com uma manutenção da produção do T-Cross Sense, sem precisar se com a mesma lista de itens atual, onde o novato faria companhia do mesmo modo que Polo e Virtus convivem entre si mesmo que em segmentos distintos ou até mesmo a dupla Renault composta por Duster Life e Captur Life. Caso ocorra, o Nivus eventualmente poderá custar até menos mesmo que abrindo mão de alguns itens a mais ou até da mesma motorização das demais versões.

Publicidade
Publicidade

O segundo cenário é o que vemos como o mais possível, com a saída de cena do T-Cross Sense assim que cumpridas todas as entregas que ainda faltam – a VW planeja que isso ocorra no máximo até julho, calhando com o lançamento do Nivus Sense em agosto. Isso possibilitaria uma eventual manutenção do preço já praticado no modelo que conhecemos hoje no seu provável substituto no segmento PcD, além do motor 200 TSI ser utilizado e a lista de equipamentos não seja tão reduzida.

4. Conclusão

É fato que o Volkswagen Nivus vem forte, representa mais um novo momento da marca no mundo e agrega mais uma variedade de SUV, um nicho que deve retirar vendas de hatches e sedans compactos premium ou até mesmo de versões mais em conta dos atuais SUV’s compactos. Com prováveis preços entre R$ 80.000 e R$ 100.000 sem opcionais, tem tudo para esse objetivo ser alcançado.

Publicidade
Publicidade

Para o público PcD, o sucesso do T-Cross Sense deve ser um forte estímulo para que o Nivus Sense venha competitivo e atraente, restando saber o que a VW do Brasil planeja para a versão. Assim que tivermos novidades concretas, vamos noticiar aqui no M.D.A.

Galeria de fotos: apresentação oficial Nivus

[Fotos: Divulgação VW]

Siga o MDA nas redes sociais:

Deixe uma resposta

Loading…