in

Comparativo dos sedans compactos Premium para PcD

Publicidade
Publicidade

Comodidade, conforto, espaço interno, ergonomia e porta-malas generoso são grandes pontos destacados por algumas pessoas na aquisição de um veículo, seja ele usado ou novo. Isso ocorre, sobretudo, entre pessoas com deficiência (PcD) que usufruem da modalidade de venda direta por meio da isenção de impostos. Inclusive o mercado de sedans é um tanto seleto e agrada todos os gostos, bolsos e necessidades, ainda aguardando a chegada de reforços como a nova geração do Nissan Versa.

Faremos outro comparativo ainda, com os modelos de patamar inferior ao aplicado aqui, tendo como referência nesse primeiro momento os mais próximos do valor máximo do teto de isenção de ICMS, se tratando de preço cheio. Dos modelos aqui dispostos, alguns são exclusivos para PcD, como VW Virtus, Honda City e Chevrolet Cobalt, com os demais sendo versões disponíveis também para o varejo.

Publicidade

Assim como no comparativo entre as versões PcD dos SUVs compactos, o intuito aqui não é elencar qual modelo se sobressai, mas sim destacar qualidades e alguns deméritos de cada um. A ordem de apresentação dos sedans será por ordem alfabética de acordo com sua fabricante, sendo levados em consideração a maior quantidade de critérios possível para contribuir positivamente com sua compra.

CAOA Chery Arrizo 5 RX 1.5T CVT – R$ 51.180,64

Arrizo 5
Versão RX

E o primeiro modelo que comentaremos é o sedan compacto premium da chinesa Chery, que possui atualmente sob comando do Grupo CAOA a árdua missão de galgar melhor espaço no mercado brasileiro com produtos completos e com custo abaixo dos concorrentes. A melhora dos seus modelos em vários quesitos merece destaque sim, mas ainda assim há certa resistência de parte do público, visto o passado fracassado da marca na gestão antiga.

Publicidade

Voltando ao Arrizo 5, o modelo foi avaliado pelo M.D.A em Junho e chamou bastante a atenção pelo bom custo x benefício perante a concorrência. Desde a versão de acesso, aqui levada em consideração, o modelo dispõe de algumas exclusividades entre os comparados aqui, como ar-condicionado eletrônico, chave presencial com partida por botão e motor turbo. Sim, um modelo com motorização atual dentro do teto do ICMS.

Arrizo 5
Versão RX

Tratamos aqui do motor 1.5 turbo flex de quatro cilindros que possui 150 cavalos no etanol e 147 cavalos na gasolina a 5.500 rpm com torque de 19,4 kgfm em ambos os combustíveis e que fica devendo injeção direta para apresentar melhores números de consumo. O câmbio é automático do tipo CVT que simula sete marchas.

Publicidade

Um dos pontos mais elogiáveis é o espaço interno, um dos maiores do segmento, muito por conta do entre-eixos de bons 2.65 metros de comprimento, empatando nesse quesito com o concorrente Volkswagen Virtus. Contudo, seu porta-malas é o de menor litragem entre os modelos aqui mencionados, parcos 430 litros de capacidade, menor até que o de alguns sedans menores. Além disso, o modelo é contestado pela sua marca, mas o trabalho dos seus dirigentes para a melhora da imagem está árduo, bastamos dar tempo ao tempo.

Chevrolet Cobalt LTZ (pacote R7T) – R$ 48.898,80

Lançado em 2011 com um design bem controverso, o sedan compacto premium da marca norte-americana Chevrolet surgiu como boa opção para quem possui família grande, demanda porta-malas, bom espaço interno e cativou ainda mais o público de taxistas. Inicialmente possuía somente motor 1.4 e transmissão manual, mas posteriormente foram lançadas versões de motor 1.8 com câmbio manual e automático de seis marchas, aumentando ainda mais o número de interessados pelo modelo.

Publicidade

Na linha 2016 foi realizada a reestilização, primeira e única, tanto na frente quanto na traseira do sedan, para tentar minimizar ao máximo o design de gosto duvidoso que para muitos se assemelhava com uma capivara, assim como a Spin. Ficou sim mais atraente, ganhou novos equipamentos, acabamento melhorado e de certo modo agradou uma boa parcela de pessoas. Contudo, atualmente é um modelo que pode estar prestes a ser substituído pelo Onix Sedan que virá no mês que vem, mas ainda é mera hipótese, uma vez que na linha 2020 o Cobalt passou por reposicionamento de valores, versões e perdeu a opção topo denominada Elite.

Para PcD há disponível a versão destinada exclusivamente a este público e que deriva diretamente da versão LTZ, atualmente a versão mais completa do sedan. Conta com itens como ar-condicionado analógico, direção elétrica, trio elétrico, faróis de neblina, rodas de alumínio de 15 polegadas, bancos de tecido, computador de bordo, central multimídia My Link II com espelhamento de celulares via Android Auto e Apple Car Play, câmera de ré, airbag duplo frontal, freios ABS, sistemas ISOFIX e Toptheter para fixação de cadeirinhas infantis, entre outros itens.

Publicidade

Quanto ao motor, trata-se do já conhecido 1.8 de 111 cavalos com torque de 17,7 kgfm a 2.600 rpm ou 106 cavalos com torque de 16,8 kgfm quando abastecido com gasolina. Motor que, apesar de ter manutenção fácil e barata, sofre o peso da idade e destacando que Onix Sedan tem um propulsor 1.0 turbo completamente novo. A transmissão é automática seqüencial de seis marchas. Ponto muito positivo é o porta-malas, o maior desse comparativo: ótimos 563 litros de capacidade. Vai uma atualização importante, algumas fontes confirmam que a produção do modelo foi encerrada, mas a marca em si ainda não oficializou a informação.

Chevrolet Onix Plus 1.0 Turbo AT6 – R$ 48.237

*preço na cor preta

O mais novo sedan compacto da Chevrolet vem recheado de novidades, inclusive em relação ao nome, sendo batizado com o mesmo da opção hatch, diferenciando apenas pelo sobrenome Plus, abandonando o nome Prisma, herdado do sedan do também finado Celta. O sucesso do sedan compacto já está podendo ser visto nas ruas e ranking de vendas, já vendeu mais de 5.000 unidades no mês de outubro e superou com folga modelos mais semelhantes como Ford Ka Sedan e Volkswagen Virtus.

Muito se deve também por essa versão a qual citaremos, que apesar de ser de acesso e mirar as vendas diretas, sobretudo locadoras, frotas e PcD, possui uma lista de itens de série bem interessante e que pode cativar quem busca um modelo com motorização mais atualizada num preço de aquisição abaixo dos R$ 50.000 mesmo com visual simples. Essa versão contempla ar-condicionado manual, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas com função “one touch”, travas elétricas, cinto de três pontos para todos os ocupantes, seis airbags, sistema ISOFIX, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, rodas de aço de 15 polegadas com calotas, retrovisores e maçanetas na cor preta, rádio AM-FM stereo com Bluetooth e duas entradas USB, além de comandos no volante, entre outros itens.

Quanto ao powertrain falamos do novíssimo motor Ecotec 1.0 turbo de 116 cv e 16,8 kgfm quando com etanol e aliado a uma transmissão automática convencional de seis marchas. Seu porta-malas possui 469 litros de capacidade, quase 100 litros menor que a do Cobalt e 31 litros menor que a do antecessor Prisma, mas 29 litros maior que a do sedan médio Cruze. Para quem desejar uma opção mais completa do modelo há ainda a versão LT que falaremos abaixo.

Chevrolet Onix Plus LT 1.0 Turbo AT6 – R$ 53.297

*preço na cor preta

A versão intermediária do sedan Onix Plus também se encontra dentro do teto vigente para a isenção de ICMS, sendo uma opção mais completa para quem deseja o modelo e faz questão de uma lista ainda mais farta. Possui o conjunto mecânico idêntico ao da versão mencionada acima, agregando itens de série que são um tanto interessantes e reforçam o caráter de bom custo x benefício do modelo, apesar de não possuir ainda a política de incentivos modestos da Chevrolet.

Essa versão adiciona os seguintes itens: alarme, retrovisores elétricos, maçanetas e retrovisores na cor do veículo, faróis de neblina, rodas de liga leve de 15 polegadas, multimídia MyLink III com tela touchscreen de 7 polegadas/Android Auto/Apple CarPlay, painel de instrumentos com tela em TFT monocromática de 3,5 polegadas, sistema Chevrolet OnStar, Wi-Fi integrado exclusivo no segmento, volante regulável em altura e profundidade, volante em couro e volante com moldura decorativa.

Veja Também

⇒ Comparativo: custo de revisão entre os sedãs compactos disponíveis para PCD

⇒ Comparativo dos SUVs exclusivos para PcD

⇒ Comparativo: custo de revisão entre os sedãs compactos

Fiat Cronos 1.8 AT6 – R$ 54.655*

*o modelo deve continuar a receber bônus, mas ainda não divulgado

O sedan da marca italiana derivado do hatch compacto Argo foi lançado em Fevereiro de 2018 com a proposta de suceder a versão Essence do Grand Siena, hoje apenas comercializado na versão de acesso, mas que gradativamente deve sair de cena para apenas o Cronos ser mantido no portfólio da marca no Brasil.

Inicialmente, cativou vários compradores por conta do seu bom custo x benefício e preço da então versão topo da gama Precision no limite da isenção de ICMS. De fato o modelo possuía sim uma boa lista de equipamentos para o valor ofertado, atraindo de modo especial o público PcD, que além da isenção de IPI e ICMS gozou de bônus aplicado pela marca, chegando a custar aproximadamente R$ 50.800 em determinada época.

Contudo, o modelo feito na Argentina ganhou no mês de Novembro uma versão “tapa-buraco”, justamente a aqui mencionada: sai a versão Precision com câmbio automático e entra a versão Drive com o mesmo conjunto mecânico. Com isso, perdeu rodas de liga-leve, detalhes externos cromados, retrovisores elétricos, vidros elétricos traseiros, faróis de neblina, piloto automático, entre outros itens e acabou deixando de ser um produto atrativo como o anterior.

Quanto ao motor, falamos do 1.8 16V E.torq que possui 139 cavalos quando abastecido no etanol ou 135 cavalos quando com gasolina, ambos a 5.750 rpm. O torque no combustível etanol é de 19,3 kgfm e na gasolina é de 18,8 kgfm, ambos a 3.750 rpm. É aliado a uma transmissão automática AISIN de seis marchas.

Hoje dispõe de ar-condicionado manual, direção elétrica, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas, retrovisores com regulagem manual, rodas de aço de 15 polegadas com calotas, central multimídia touchscreen de 7 polegadas, sensor de estacionamento, volante com regulagem somente de altura, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, entre outros itens. Fique atento, pois apesar de no ano que vem a FCA lançar a família de motores Firefly turbo, o propulsor 1.8 E.torq continuará sendo ofertado, amenizando o receio por uma maior desvalorização do modelo. Vale destacar que apesar de ser uma versão “nova”, trata-se da Drive sem nomenclatura.

Honda City Personal 1.5 CVT – R$ 52.670,80

*com cor metálica: R$ 53.544,80 – com cor perolizada: R$53.659,82

Há 10 anos no mercado brasileiro, o Honda City em sua segunda geração após o facelift realizado no ano passado encontra-se dispoível para PcD na versão Personal que é destinada exclusivamente às modalidades de venda direta da marca. Reconhecido pela robustez mecânica, facilidade na manutenção, bom câmbio, conforto, além do renomado pós-vendas da marca, o sedan compacto deriva do também reconhecido Fit, este há mais tempo no mercado.

O Honda City tem o motor 1.5 16V SOHC i-VTEC FlexOne de até 116 cavalos de potência quando abastecido com etanol e aliado a uma transmissão automática do tipo CVT que simula sete velocidades, assim como no Caoa Chery Arrizo 5. Esse powertrain utilizado é reconhecido pela economia de combustível, sendo o City um dos modelos mais econômicos do segmento. Possui bom espaço interno e porta-malas com 536 litros no total, sendo 485 litros acima do assoalho e os demais 51 litros abaixo dele, segundo dados da Honda. Perde apenas para o porta-malas do Chevrolet Cobalt.

Um dos pontos questionados no modelo é justamente a lista de itens de série, o modelo dispõe do básico: ar-condicionado manual, direção elétrica, trio elétrico, airbag duplo frontal, freios ABS, entre alguns outros itens. Mas ainda é tratado como um modelo básico tendo em vista o preço e o que não é ofertado e ficam de fora controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e lanternas traseiras em LED, por exemplo, presentes no irmão Fit. Ainda há o pacote que contempla central multimídia paralela e rodas de liga leve nas concessonárias, denominado Personal e instalado nas autorizadas assim que o veículo chega da fábrica. Vale salientar que o modelo vem com volante multifuncional, auto-falantes e câmera de ré predispostos de fábrica, para caso o cliente não opte pelo pacote e também se destaca que o modelo vem com rodas de aço de 15 polegadas sem calotas.

Outro fator um tanto proibitivo para muitos é o valor desse pacote, ultrapassando R$ 6.000 reais na maioria das concessionárias. Porém, o City Personal pode ser boa opção para você que busca um carro robusto, confiável e econômico. Sua terceira geração pode estar próxima e quem sabe virá com opção turbo, resta-nos aguardar.

Hyundai HB20S Vision 1.6 AT6 – R$ 51.890,30

Com design totalmente renovado, entre-eixos alongado, interior diferenciado, entre outras alterações, a Hyundai lançou sob polêmicas a nova gama HB20 2020, inclusive na variante sedan, a qual abordaremos. Com exterior bastante questionado, 6 anos após o seu lançamento em terras brasileiras, a marca coreana elevou consideravelmente o patamar de seu modelo que possui significativas vendas no segmento de sedans compactos e merece estar em nosso comparativo.

O sedan teve as vendas antecipadas pela marca por conta da demanda elevada, uma vez que ele somente estaria nas lojas e disponível para vendas no mês de novembro. Nos itens de série dispõe de ar-condicionado analógico, direção elétrica, vidros elétricos nas quatro portas, travas elétricas, maçanetas externas e retrovisores na cor do carro, porta objetos com tampa deslizante, chave canivete e central multimídia blueMedia de oito polegadas com espelhamento Android Auto/Apple CarPlay e entrada USB para carregamento rápido. Traz ainda controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, apoiador de braço para o motorista, piloto automático e limitador de velocidade.

No conjunto mecânico tratamos do 1.6 Gamma 16V de quatro cilindros, 130 cavalos a 6.000 rpm com etanol e torque de 16,5 kgfm a 4.500 rpm. Traz o sistema e-Start que dispensa o uso de tanquinho de partida a frio. Transmissão utilizada é automática com conversor de torque e seis marchas.

São 475 litros de porta-malas, um reforço de 25 litros em relação ao HB20S anterior, trazendo ao modelo ainda mais a tona o aspecto de veículo familiar e bacana para viagens. Entre-eixos agora possui 2.530 mm, 30 mm maior.

Toyota Yaris Sedan XL 1.5 CVT – R$ 54.655,68

O sedan compacto da Toyota é o sucessor da antiga versão PcD do best seller Corolla, a GLi Tecido, dentro dos modelos com isenção completa de impostos. Não possui logicamente o mesmo conforto, nível de acabamento e qualidade construtiva, mas tem o que muitos esperam de um modelo da marca: confiabilidade, conforto, bom consumo e prazer ao andar.

O Toyota Yaris foi lançado há cerca de um ano e de lá para cá cativou cada vez mais clientes, inclusive antigos donos do Corolla na versão exclusiva para PcD, justamente por acabarem preferindo ficar com a marca sem abrir mão da isenção do IPVA, por exemplo, já que hoje o Corolla mais em conta ultrapassa o limite estabelecido para a isenção do ICMS. O motor utilizado é o 1.5 Flexfuel Dual VVT-i DOHC 16V de quatro cilindros que no etanol tem 110 cavalos de potência a 5.600 rpm com torque de 14,9 kgfm a 4.400 rpm. Abastecido com gasolina são 105 cavalos de potência e 14,3 kgfm de torque nas mesmas respectivas rotações com etanol. A transmissão utilizada é a Multidrive CVT que simula sete velocidades.

Yaris sedan XL 1.5 CVT

Quanto aos itens de série, o Yaris XL perdeu na linha 2020 as rodas de liga leve e o retrovisor interno eletrocrômico, sacrificando-se de algumas coisas em prol das vendas para PcD com isenção de ICMS. No mais, dispõe de ar-condicionado analógico, direção elétrica, trio elétrico, computador de bordo, faróis de neblina, bancos em tecido, duplo airbag frontal, freios ABS com EBD, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, faróis com regulagem elétrica, acendimento automático dos faróis, rádio com AM/FM/CD Player/MP3/USB/entrada auxiliar/Bluetooth, sistema ISOFIX para fixação de cadeirinha infantil, piloto automático, entre outros itens.

Possui bom espaço interno, mas o porta-malas de 473 litros é o segundo menor do comparativo. Contudo, trata-se de um espaço bem aproveitado muito por conta da largura considerável do modelo, então mesmo não ultrapassando os 500 litros, consegue-se ter bom dimensionamento do compartimento. Logicamente que vai da prioridade do usuário. Apresenta boas médias de consumo conforme o INMETRO (para review do modelo, veja link) e o motor dá conta do recado, apesar de ser sentida a falta do propulsor 1.8 utilizado no irmão maior, quem sabe no futuro.

Volkswagen Virtus Sense 1.6 MSI – R$ 55.228

Por último, mas não menos importante, trataremos do sedan compacto da marca alemã que tem apresentado bom volume de vendas no Brasil, muito por conta das vendas para frotistas e locadoras, mas também para PcD. Ou seja, o volume para as vendas diretas está sendo bem considerável.  Chegou no início de 2018, junto do Fiat Cronos e fez barulho no mercado, muito por conta do motor 200 TSI (1.0 TSI) de até 128 cavalos.

Muitas pessoas tratam com pesar a ausência dessa motorização na versão referida do sedan, presente na versão Sense do Polo, mas cabe citar que a opção destinada exclusivamente para PcD veio com o objetivo de suprir a ausência da MSI com câmbio automático no teto do ICMS e o Polo Sense por substituir a versão Comfortline que possui o motor turbo conta com a opção mais moderna.

Dono de bom espaço interno, com entre-eixos medindo 2,65 metros, o VW Virtus tem competência de sobra para ser um carro familiar, também por um predicado muito importante e valorado por muitos: a segurança. Além do obrigatório: airbag duplo frontal e freios ABS, o sedan conta com airbags laterais, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa e bloqueio eletrônico do diferencial. Possui acabamento espartano, outro ponto um tanto criticado, mas com montagem na média da concorrência.

O motor é o 1.6 16V MSI aspirado que rende 117 cv quando abastecido com etanol e 110 cv quando abastecido com gasolina. A transmissão é conhecida, automática Tiptronic de seis velocidades com trocas manuais na própria alavanca de câmbio.

Conclusão

Concluindo mais um comparativo de modelos aqui no Mundo do Automóvel para PcD, podemos ver o quanto cada modelo possui particularidades que podem ou não ser demandadas por certa pessoa que esteja adquirindo algum veículo 0km com isenção de impostos. Seja equipamentos, espaço interno, conforto, porta-malas ou qual for sua necessidades, objetivamos trazer com clareza os maiores detalhes possíveis dos modelos a disposição no âmbito PcD próximo do limite do teto de isenção completa.

Cabe a você, caríssimo leitor, fazer crítica análise pessoal de cada um posto nessa matéria, fazer os essenciais test-drives, colocar os custos na ponta do lápis (seguro, revisões periódicas, combustível, etc) e chegar em uma opção que melhor lhe adéqüe.

Siga o MDA nas redes sociais:

Deixe uma resposta

Loading…