Avaliação: Renault Captur Iconic 1.3 TCe – coração novo, vigor lá em cima


Avaliamos o SUV da marca francesa com o novo motor turboflex que garante ao modelo uma das melhores eficiências do segmento.

A Renault lançou no mercado brasileiro em 2017, já como linha 2018, o SUV compacto Captur. Montado aqui sobre a mesma plataforma do já conhecido Duster, reunia os bons atributos do irmão, como espaço interno e porta-malas e agregava um design mais rebuscado e atual. Entre o público PcD foi bastante querido enquanto teve a versão Life CVT a disposição com isenções de IPI e ICMS.

Para a linha 2022, além do primeiro facelift após a sua chegada, entre a adição de novos itens, o modelo ganhou um novíssimo motor turbo em substituição ao defasado 2.0 F4R. Falo do 1.3 TCe, presente também em modelos da Mercedes-Benz, como A200 Sedan e GLA 200. Diante disso, passamos um final de semana testando o modelo a convite da Renault Redenção de Natal-RN com o intuito de perceber com nitidez as mudanças do veículo. Confira a seguir.

Design

Um dos pontos de presença do modelo é o design, realçado na linha 2022 pela grade com novos elementos internos integrados, novos faróis totalmente em LED, novos faróis de neblina e mantendo suas luzes diurnas em torno deles. Lateralmente a versão traz as mesmas rodas da versão Iconic do Duster de 17 polegadas, mas as demais versões mantiveram as do Captur 2021. Se tratando de uma versão topo na gama, poderia contar com rodas de 18 polegadas, mas não é algo que desabone.

Sua traseira não teve mudanças significativas, mantendo lanternas parcialmente em LED e mudando apenas a cor da régua do porta-malas que acompanha a carroceria agora.

Tecnologia

A linha 2022 proporcionou ao Captur também algumas evoluções no campo da tecnologia em relação ao modelo anterior. Começando pela nova central multimídia com tela touchscreen de oito polegadas e espelhamento via Android Auto e Apple CarPlay com boa sensibilidade e respostas mais rápidas. Além disso, dispõe agora do sistema Multiview que, apesar de não proporcionar visão 360º, possui câmeras dianteira, traseira e abaixo dos retrovisores para que o motorista possa ver algum possível obstáculo na própria multimídia.

Outro ganho é na iluminação, pois os faróis totalmente em LED da versão Iconic proporcionam melhor visibilidade ao condutor e a terceiros na rodovia, mas os faróis de neblina que também são em LED possuem uso limitado. Ademais, conta com detector de ponto cego bastante preciso para ajudar o motorista e tentar impedir colisões.

Por último, mas não menos importante, complementam a parte de tecnologia a chave-cartão com função de partida remota e o sistema de som Bose que, apesar de superior ao tradicional, não entregou ganho esperado, mas no Apple CarPlay houve boa evolução da qualidade sonora.

Acabamento

Outra evolução do modelo está na parte de acabamento, onde a Renault agora adota em boa parte do painel um revestimento suave ao toque na cor Marrom Castanheira, a mesma dos bons bancos em couro. Outro ponto positivo é para o couro do volante que é de muito bom gosto e ajuda na empunhadura. No mais, continua o plástico rígido presente desde o lançamento que é condizente com o segmento.

Já nas portas, as dianteiras trazem couro na lateral e no apoio de porta também suaves ao toque. Infelizmente as portas traseiras não trazem nas laterais e fica apenas nos apoios de braço, mas por ser área de atrito, de certa forma é um tanto acertado.

Segurança

O Renault Captur conta com a mesma lista de equipamentos de segurança em todas as versões, contemplando quatro airbags (frontais e laterais), freios ABS, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, ISOFIX e Top Tether. Tudo na média do segmento, mas fica devendo freio a disco nas quatro rodas como no Jeep Renegade e VW T-Cross, por exemplo.

Veja Também

⇒ [Avaliação] Jeep Compass S: assistentes de condução semiautônoma auxiliam a PcD

⇒ Avaliação: Volkswagen T-Cross Sense 200 TSI 2021

⇒ Veja nossas primeiras impressões do novo Toyota Corolla XEi 2020

Ao volante

Como é de se esperar de um veículo do segmento, o Captur possui uma posição de dirigir elevada, algo que pode agradar algumas pessoas a depender da estatura, mas que para um cadeirante a depender das condições de uso pode ser um pouco ruim para transferências. O volante de boa empunhadura tem regulagem tanto em altura quanto em profundidade, mas foi percebido que mesmo na posição mais baixa há ainda um volante mais elevado.

A suspensão absorve muito bem as imperfeições do solo, tornando o habitáculo bastante confortável e suave. Nas curvas é um carro estável, mas por conta de ser um SUV, merece atenção em determinadas velocidades. Outro ponto está na parte de acústica, muito boa em baixas rotações e circunstâncias, mas que em ocasiões de maior demanda do veículo permite que seja ouvido o som do motor de forma nítida, assim como ruídos de vento.

Consumo

A unidade avaliada estava abastecida na gasolina comum, apresentando média urbana variando entre 7 e 7,5 km/l. Já a média rodoviária foi de aproximadamente 8 km/l, apresentando alguns picos de melhora. Ademais, ao verificar a parte de consumo instantâneo do veículo, foram percebidas médias na casa de 9 km/l em cidade e chegou a 15 km/l na estrada andando na faixa de 90 km/h.

Preços e conclusão

O Renault Captur Iconic tem preços a partir de R$ 138.490, não tendo pacotes opcionais. Na unidade testada com cor Bronze Sable e teto preto o preço sugerido é de R$ 141.690, sendo então relativamente na média do segmento para versões topo de gama.

Nitidamente a maior evolução do modelo está na motorização, se sobressaindo sobre outras novidades adotadas, sendo bastante competente em relação ao 2.0 F4R e mais ainda em relação ao 1.6 SCe utilizados até outrora. As médias de consumo de combustível poderiam ser melhoras em uso urbano, mas trata-se de algo relativo, dependendo de várias circunstâncias.

Espaçoso e bom ótimo porta-malas, atende com facilidade uma família e para pessoas, sobretudo cadeirantes, não faz feito nos quesitos mais importantes para esse público. No entanto, ao menos por enquanto, não está inserido na política de vendas para PcD com isenção de IPI, mas quando estiver a disposição será um ótimo modelo para quem optar.

Fotos: Renault Captur

Fotos: Augusto M.D.A e Colaboração: Jean Victor – Canal RN Motors (@rn_motors__)

Siga-nos nas redes sociais: