in ,

[Avaliação] Jeep Compass S: assistentes de condução semiautônoma auxiliam a PcD

Praticidade, desempenho e economia andam juntos nessa versão do Jeep Compass, a S.

Publicidade
Publicidade

Lançado no mercado brasileiro em setembro de 2016, já como modelo 2017, a segunda geração do Jeep Compass, SUV médio da marca produzido em Goiana (PE), apresenta-se como ótima opção para quem busca praticidade, desempenho e economia nesta versão S.

Passamos uma semana com esta versão, percorremos mais de 1.000 km para testar e avaliar o SUV entre estradas de mão simples e dupla, cidades como São Paulo, Campinas e todas as do circuito das águas – nesta última, envolve muitas serras sinuosas e além de trechos sem pavimentação para testar sua capacidade fora de estrada. Confira a seguir.

Publicidade

Jeep Compass S na cidade

No uso diário, o Jeep Compass S aposta numa proposta de mais conforto à bordo sem abrir mão do espaço interno, incluindo porta-malas de 410 litros, capacidade suficiente para as compras da semana ou para acomodar as bagagens de uma família pequena em viagem. O modelo mede 4,41 m de comprimento, 1,81 de largura, 1,64 de altura e 2,63 de entre-eixos. Nos grandes centros, como São Paulo, o auxílio à condução, no caso do piloto automático adaptativo e aviso de ponto cego, permite uma condução mais fácil e segura, sobretudo para quem tem algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida.

Tem dificuldade em estacionar? não se preocupe, o Jeep Compass S estaciona para você. Este é um dos diversos recursos desta versão para quem não tem prática na hora de manobrar um SUV desse porte. O Park Assist consegue estacionar de forma quase que independente – ele exige somente a operação da posição do acelerador, freio e marcha a ré por parte do motorista. O recurso, em específico da Jeep, consegue realizar a operação em vagas paralelas e perpendiculares.

Publicidade

Antes de abordar o assunto consumo, é preciso destacar que esta verão traz o já conhecido motor 2.0 turbodiesel compartilhado com o Renegade e a Fiat Toro, que rende 170 cv de potência e 35,7 kgfm de torque, acoplado ao câmbio automático de 9 marchas com tração 4×4 – que pode ser bloqueada (50% para cada eixo) ou ainda ajustada em quatro modos de condução: automático, neve (pisos escorregadios), areia ou lama.

No que diz respeito ao consumo urbano, uma boa surpresa, tanto dentro de São Paulo quando de Campinas, conseguimos uma média de pouco mais de 11 km por litro de Diesel. Média acima do declarado pelo Inmetro, que é de 10,2 km/L.

Publicidade

Veja Também

FCA terá 12 lançamentos no Brasil até 2025

Novo SUV da Jeep terá sete lugares e motores turbo

Jeep Renegade Moab Diesel: preço, fotos, equipamentos e mais

Em estradas simples e dupla (+ serra)

Utilizamos o Jeep Compass S em rodovias como Fernão dias, bandeirantes, Castello Branco, Dom pedro I, entre outras de mão dupla. Seu desempenho e consumo surpreenderam mais uma vez, com a rotação do motor abaixo de 2 mil e em velocidade de cruzeiro entre 110 e 120 km/h, de acordo com o permitido da rodovia, obtivemos média de consumo de 15 km/L.

Em local seguro e apropriado, fizemos um teste de 0 a 100 km/h, o SUV acelerou em menos de 11 segundos, desempenho satisfatório levando em conta seu porte. Outro ponto avaliado foi ACC (Adaptive Cruise Control) – piloto automático adaptativo, de fácil operação, o sistema traz alguns níveis de distância e tem um funcionamento eficiente. O mesmo não pode se dizer do assistente de permanência em faixa, mas leve em consideração que nossas vias não são das melhores para uma leitura de faixa mais eficiente.

Publicidade

Percorremos em boa parte do Circuito das Águas, onde passamos por algumas estradas sinuosas. Seu comportamento dinâmico surpreende, conseguimos notar a boa estabilidade do Compass, que passou em todas as curvas com excelência.

Jeep Compass S no fora de estrada

Em trecho sem pavimentação, a boa altura em relação ao solo de 21 cm e os ângulos de entrada (28,7 graus), saída (31,9 graus) e central (23,2 graus) permitiram o SUV atravessar com tranquilidade este tipo de terreno. Fomos além, subimos até o ponto mais alto de Serra Negra, no Alto da Serra. São 1.310 m de altitude e para chegar até lá, é necessário passar por estrada mais íngreme e sem pavimentação. Ao descer, em um pequeno trecho utilizamos o sistema de controle de descidas (HDC), que de forma precisa, segura o veículo para que desça com segurança e em baixa velocidade.

Publicidade

De série

Entre os principais equipamentos de série, podemos destacar ar-condicionado digital de duas zonas, direção elétrica, airbags laterais, de cortina e de joelho para o motorista (totalizando 7 airbags), monitoramento de pontos cegos, rodas de liga leve de 19 polegadas exclusiva, partida remota por meio da chave, sistema Park Assist de estacionamento semiautônomo, teto solar elétrico, controle de cruzeiro adaptativo, aviso de mudança de faixas, farol-alto automático de xênon (luz baixa e alta), abertura elétrica do porta-malas, sistema de som Premium Beats, bancos em couro, entre muitos outros itens.

Conclusão e preços

Como já mencionamos, o Jeep Compass nessa versão, a S, é sem dúvida uma ótima opção para quem busca praticidade, desempenho e economia. No geral, o sistema de auxílio à condução permite um uso mais fácil, sobretudo para quem algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida. Mas paga-se caro por isso, o preço sugerido para esta versão é de R$ 217.490, no entanto, para o público PcD, a Jeep está concedendo um ótimo percentual de bônus de fábrica, além da isenção do IPI garantida para veículos posicionados acima de R$ 70 mil. Para o referido público, o preço final sai por R$ 144.413, após isenção do IPI e bônus de fábrica (Jeep).

Galeria de fotos: Jeep Compass S

[Fotos: Michael W. – Mundo do Automóvel para PCD]

Siga o MDA nas redes sociais:

Deixe uma resposta

Loading…