Peugeot oficializa fim das vendas dos modelos 308 e 408

13

Em meados de Julho do ano passado, a Peugeot do Brasil suspendeu as vendas dos modelos 308 e 408 para o público PcD, após essa suspensão, ambos modelos tiveram queda nas vendas.

Na época, procurada, a Peugeot nos informou que “no momento, encerrou a oferta dos modelos 308 e 408 na versão Business para o público PCD”.

Veja Também

⇒ Toyota suspende vendas do Yaris Hatch XL Plus Tech para PCD

⇒ Citroën suspende vendas do C4 Live para pessoas com deficiência (PCD)

⇒ Novo Peugeot 208 que será vendido no Brasil é visto na Europa.

Após a suspensão e com queda nas vendas, a Peugeot oficializa que não irá mais comercializar os modelos 308 e 408 no mercado brasileiro.

Em todo ano de 2018 o modelo 308 vendeu apenas 434 unidades. Já 408, vendeu no acumulado de 2018, 739 unidades. Somados, não chegam a 1.200 unidades vendidas no período de janeiro a dezembro de 2018.

Ambos modelos eram produzidos na fábrica da PSA, em El Palomar, na Argentina. Os modelos deixam o país sem deixar substituto.

A Peugeot irá vender o estoque restante do ano passado, mas a marca afirma que focará sua nova estrategia nos modelos 208, 2008, 3008 e 5008.

[Fonte: Revista Auto].


Nos siga nas redes sociais

 Facebook- Mundo do Automóvel para PCD

 Instagram – Mundo do Automóvel para PCD

 Youtube – Mundo do Automóvel para PCD

13 COMENTÁRIOS

  1. Tenho um 18/18 melhor carro que um PCD comprar. Agora todos temos que engolir erras carroças com 11x poneis malditos disfarçadas de suv, ao invés de um turbo de 180 CV praticamente. Bem feito pros espertos e Zé.povinho que se conformam com a superficie.

    • Verdade !!! tb tenho um 17/18 e estou muito satisfeito com carro e o atendimento na css, o carro é maravilhoso nunca mais teremos um assim para PCD … tristeza !! Perdemos um carro ótimo por conta de preconceitos e pré-conceitos idiotas de pessoas que ficam com a mente no passado e não evoluem !!
      E agora vamos fazer o que ? Em outubro completo 2 anos e não sei se troco ou continuo com o carro que curto muito !!! Se optar pela troca não temos mais boas opções sobra aderimos a modinha ridícula dos pseudos SUV’s pelados e mancos ou nos contentamos com o Virtus MSI manco e tb não muito equipado e cheio de problemas ou arriscamos de vez e partimos para o Arrizo 5 !!

  2. Mais duas vítimas da onda SUV… quando esses carros chegaram em 2013 chamavam a atenção e sempre foram bem recheados de itens de série e bom motor. Hoje, infelizmente já não temos mais peruas (daqui a pouco a VW Spacefox dá tchau e só sobram as importadas carésimas) e agora os hatches médios e alguns sedans. Podem anotar, a próxima vítima vai ser o Ford Focus, tanto o hatch quando o sedã. A exemplo dos concorrentes 308 e 408 são carros muito bons, mas pelo preço não tem venda e mercado prefere comprar SUV…
    A estratégia da Peugeot agora vai ser foco total no segmento de entrada com o 208 e nos SUV 2008, 3008 e 5008. Espero que tenham vendas para manter a marca. Falando nisso, estão demorando para trazer o 2008 com a frente nova que já tem na Europa, ficou um visual mais parecido com o do 3008. Outra coisa que acho estranho são as publicações de automóveis fazerem comparativos de SUV e nunca vi colocarem um 2008 no meio… (comentam do Creta, Kicks, Cactus, Tracker mas ignoram totalmente o 2008). Seria bom a Peugeot tentar dar um pouco mais de visibilidade pro modelo.

  3. É questão de mercado, são modelos de baixíssima venda, apesar de serem ótimos veículos.
    Se a PSA não se mexer e focar no que vende alguma coisa, logo baixa as portas aqui no BR.

  4. Por isso a fama dos franceses! E agora, como ficam os que compraram esses modelos? Por melhor que possam ser, vai muito difícil passar esses carros frente. E mesmo para os que decidirem continuar com ele por mais tempo, daqui a uns três anos vai ser dureza achar peças de reposição, mesmo nas concessionárias. Vai ter que ser na base da encomenda, com longo tempo de espera e muito caro.

    • Desculpe mas no caso a culpa é das pessoas que tem preconceito e não compram, só pensam em Corolla !! como a marca vai manter a um modelo que não vende ?? em janeiro foram apenas 10 unidades !!!

    • Olha, se eu fosse comprar carro pensando só próximo dono e não em mim, iria viver só de Onix ou Corolla… Tá, tudo bem que valor de revenda é um item que conta, mas não é o único… Gente, carro é bem de consumo, que você vai usar por alguns anos, invariavelmente vai desvalorizar e um dia depois vc vai se desfazer dele. Alguém aqui compra carro pensando em ficar 15 anos com o mesmo carro? Difícil…
      Quanto aos donos que compraram esses modelos, vão ficar como todos os outros de todas as outras montadoras quando descontinuaram – Zafira e Meriva tiveram queda no preço do usado, assim como o Polo (que saiu e voltou), Vectra, Palio, Uno, Megane… a lista vai longe. Isso não é nenhum drama, é o comportamento normal de mercado e acontece com qualquer montadora, não só os franceses… Se você compra carro achando que é investimento, que vai valorizar, sinto dizer mas é melhor rever seus conceitos…

      • Sua análise é muito boa. Só pondero o seguinte: Perder na troca, sempre se vai. Só que no caso da Peugeot e da Citroen a perda vai além de uma razoabilidade. E a culpa é dessas montadoras, pois não trabalham o produto que têm. Querem vender pouco e ganhar muito em cada venda. Não souberam posicionar seus produtos no mercado. Nem sei lhe dizer que posição o carro mais vendido da Peugeot tem no raking de vendas gerais.
        E não é só a questão da desvalorização. Usando seu próprio argumento, hoje você acha com relativa facilidade peças de reposição para Meriva e Zafira e Vectra. Uno e Palio então muito mais fácil. Para o Megane já não é tão fácil assim e, quando se acha, é muito caro.
        De resto, concordo com você, não se compra carro pensando na revenda. Mas eu penso e peso com muita atenção esse item pois não é só valor da revenda que pesa, mas também a facilidade para revender e a manutenção ao longo do tempo. De que adianta você ter um carro bom, mas usado, que não consegue revender? Carro, concordo com você que não é investimento, mas é patrimônio. Temos que declará-lo no IR, ou não? Então, pela sua natureza já é um patrimônio que se deprecia ao longo do tempo. Dentro de um pensamento de planejamento financeiro isso não é razoável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here