Concessionários de Peugeot e Citroën demonstram revolta com o Grupo PSA


Entre as alegações, estão a ausência de produtos com bom potencial de venda, metas “inatingíveis” e fraco desempenho de vendas.

No último dia 17 foi divulgado pelo site UOL Carros que os concessionários das francesas Peugeot e Citroën, estão revoltados e se “rebelando” contra o grupo que é o proprietário das marcas há anos, o Grupo PSA. Estão sendo enviadas reivindicações constantes para a alta cúpula da controladora das fabricantes pautadas em argumentos consideravelmente fortes.

Podemos citar alguns, sendo a imposição de metas fora de realidade para a tentativa de cumprimento de objetivos, como a Peugeot dobrar as vendas com o lançamento da nova geração do 208 que se mostraram relativamente fracas, trazendo como possíveis motivos um marketing inofensivo, preços altos, entre outros.

Tanto a Abracop quanto a Abracit, associações dos concessionários de Peugeot e Citroën, respectivamente, trouxeram a tona um movimento de parte da PSA de manobrar uma expansão de sua representação no Brasil através das concessionárias da Fiat, uma vez que os grupos PSA e FCA estão se fundindo e formarão a Stellantis. Isso se mostra prejudicial aos atuais revendedores, uma vez que estimula a criação de novas lojas das francesas junto com as já existentes da marca italiana.

Veja Também

⇒ Mercedes-Benz encerra produção de carros no Brasil

⇒ Vai alugar carro para viajar no fim de ano? Agilize!

⇒ Programa Volvo Lovers emprestará por quatro dias um dos seus veículos híbridos

Com isso, as associações enviaram ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) um pedido de interrupção da fusão já aprovada no território brasileiro. Um proprietário de concessionária Fiat já teria aceitado e realizando obras para agregar as montadoras da PSA nos seus negócios. Para efeito de comparação, Fiat possui 522 lojas em todo o Brasil e a PSA tem 217.

O jeito é aguardarmos como a situação se desdobrará e as possíveis consequências, uma vez que esses imbróglios afetam de forma direta o comportamento do mercado de veículos.

[Fonte: UOL Carros]

Siga o MDA nas redes sociais: